For the best user experience please use IE11 or above, or a modern browser.

Bem-vindo à Vida em Casa IKEA 2018

Entre quatro paredes

Somos apaixonados pela vida em casa.

Por isso falamos com milhares de pessoas, todos os anos, para saber mais sobre o que é e o que sentem as pessoas em relação à vida em casa, em todo o mundo. Este ano, aprendemos que as casas estão a tornar-se numa rede de lugares e espaços e que podemos encontrar a sensação de casa em mais do que um sítio.

Esta é uma nova era da vida em casa e está a ter lugar dentro e fora de quatro paredes.

Explore o nosso site para saber mais sobre esta nova era e o que significa para si.

Modo vídeo

O que aprendemos sobre a Vida em casa em 2018

1 em 3 pessoas em todo o mundo diz que há lugares onde se sentem mais em casa do que no espaço onde vivem. Em cidades, este número subiu de 20% em 2016 para

35% em 2018

Queríamos saber o que leva tantas pessoas a sentirem-se desta forma. Por isso, dedicámo-nos a explorar o que contribui para o sentimento de casa e onde as pessoas o procuram.

Nos últimos dois anos, tem-se registado um aumento acentuado no número de pessoas que dizem sentir-se mais em casa em lugares diferentes dos sítios onde vivem. Descobrimos que, em qualquer momento e em qualquer lugar, podemos fazer coisas que normalmente associamos a casa. Por exemplo, sabia que mais de 1/3 das pessoas toma duche fora de casa, várias vezes por semana? A vida está a mudar e está na altura de a casa acompanhar essa mudança.

Mas o que significa isso?

Ora, nós aprendemos muito mais sobre o que implica criar a sensação de casa e como melhorar essa sensação. Aprendemos a importância dos bairros e das comunidades no desenvolvimento da sensação de casa. Na verdade, 64% das pessoas a nível global preferem viver numa casa pequena numa localização fantástica do que numa casa grande numa localização que não considerem ideal e 23% das pessoas sentem que têm de sair de casa para conseguirem ficar algum tempo sozinhos.

Estamos a entrar numa nova era da vida em casa. 60% das pessoas estão preparadas para criar uma casa diferente daquela onde foram criadas. Para saber o que andam a fazer as pessoas de todo o mundo para se adaptarem e definirem esta nova época, leia o resumo do nosso relatório.

Para algumas pessoas, ‘a minha casa começa na porta de entrada.’ Para outras pessoas, ‘o meu sentido de casa começa quando estou na zona envolvente do local onde vivo.’ É esse sentido de casa mais abrangente e amplo.

Dr Alison Blunt - Co-diretor do Centro de Estudos da Casa

Através da nossa pesquisa, identificámos cinco principais necessidades emocionais ligadas à casa. É isto que as pessoas querem dizer quando falam sobre o que a casa lhes transmite. Estas necessidades são universais mas desempenham papéis diferentes em etapas diferentes da vida, dependendo da idade, com quem vivemos e em que sítio do mundo nos encontramos.

A ideia de casa já não se limita às casas onde habitamos. Entender as cinco carências emocionais ajuda-nos a encontrar a sensação de casa, não importa onde ou como vivemos.

Criámos uma ferramenta simples para identificar como a casa vai ao encontro dessas necessidades, apresentando também formas de melhorar.
  • Privacidade
  • Segurança
  • Conforto
  • Propriedade
  • Pertença
Casa é chegar a um sítio onde as pessoas me aceitam como sou, onde posso ser eu própria e ser livre.”

Anna, Berlim